Estoque de empregos na Bahia aumentou 1,70% em 2018


Segundo a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), divulgada pelo Ministério da Economia, a Bahia contabilizava, em dezembro de 2018, 2.261.558 empregos formais – um ganho de 37.783 postos comparativamente ao registrado em dezembro de 2017, quando o estoque havia sido de 2.223.775. As informações foram analisadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia da Secretaria do Planejamento (Seplan).

“Em termos de variação absoluta, os 37.783 postos representaram a quinta maior geração entre os estados brasileiros. Em um ano, portanto, houve expansão de 1,70% no total de empregos formais. Por sinal, a ampliação relativa foi superior aos constatados para a Região Nordeste, que foi de 1,21%, e para o Brasil, de apenas 0,76%. Esta variação percentual é a sexta maior entre as Unidades Federativas do país”, destaca o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro.

De 2017 a 2018, na Bahia, o segmento dos Serviços, com avanço de 30.557 no número de postos formais, foi o setor com o maior ganho absoluto; o que correspondeu a uma variação relativa de 4,15%. Outros cinco setores de atividade econômica revelaram incremento no estoque de empregos formais: Administração Pública (+5.123 postos, 0,85%), Serviços Industriais de Utilidade Pública (+3.509 postos, 16,60%), Extrativa Mineral (+2.104 postos, 14,26%), Construção Civil (+1.241 postos, 1,19%) e Indústria de Transformação (+625 postos, 0,29%). Ascom/GOVBA

De um ano para o outro, as faixas de escolaridade mais elevadas exibiram maior expansão no número de empregos formais. Os trabalhadores com ensino superior completo foram os que apresentaram a maior mudança relativa (7,04%) e absoluta no número de postos (+29.171 postos). A segunda maior variação absoluta ocorreu para os com ensino médio completo (+18.054 postos, 1,40%), seguido pelo grupo dos com superior incompleto (+3.184 postos, 4,52%). Em contrapartida, mostraram-se mais sensíveis à variação negativa em termos absolutos do mercado de trabalho formal baiano aqueles com ensino fundamental completo (-6.360 postos) e em termos relativos aqueles da 5ª série completa do ensino fundamental (-5,61%).

A análise da estrutura do estoque de empregos formais da Bahia, em 2018, revelou a predominância do setor de Serviços com 767.226 postos, correspondendo a 33,9% do pessoal ocupado. A Administração Pública (610.831 postos, 27,0%) representou o segundo maior segmento em termos de ocupação e o Comércio (432.645 postos, 19,1%), o terceiro. Com valores absolutos e relativos inferiores, mas, ainda assim, de grande importância para o estado, aparecem os outros cinco setores: Indústria de transformação (213.725 postos, 9,5%), Construção Civil (105.515 postos, 4,7%), Agropecuária (90.112 postos, 4,0%), Serviços industriais de utilidade pública (24.648 postos, 1,1%) e Extrativa Mineral (16.856 postos, 0,7%).

JavaScript must be enabled.

Foto: Pedro Moraes/GOVBA

Fonte: Ascom da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI)

Cordialmente,

Assessoria de Comunicação

Superintendência de Estudo