Boca no Trombone: Moradora da Régis Pacheco queixa de vazamento de esgoto

Olá Jorge Amorim, Gostaria de tornar pública a minha indignação quanto as condições em que se encontra a rua Régis Pacheco esquina com a Jovino Oliveira, onde moro. Aqui há um esgoto que está vazando há dias e ninguém faz nada. Um odor insuportável, não posso nem pensar abrir as janelas aqui em casa. O meu filho teve … Leia Mais



Em Barra do Choça conheça o Centro de Estética e Depilação; agende sua consulta!

Com o intuito de proporcionar um melhor atendimento e qualidade para suas clientes, nesta quinta-feira, 07/12 aconteceu a reinauguração do Centro de Estética e Depilação de Barra do Choça – CEDET. Sob a direção da empresária Emanuelle Tavares o Centro de Estética e Depilação traz para o público feminino as mais modernas técnicas em tratamentos de celulite, gordura localizada, massagem … Leia Mais





Mais um acidente envolvendo motociclista na Curva da Morte, em Barra do Choça


Arquivo: Blog do Jorge Amorim

Mais um acidente envolvendo um motociclista na Curva da Morte, rodovia que liga em Barra do Choça a Planalto. O incidente ocorreu no início da noite deste domingo, 03/12. O motociclista aparentemente embriagado, perdeu o controle, bateu no guard rail (placa de proteção) e caiu.

A vítima foi levado por populares ao Hospital Geral em Barra do Choça, onde chegou com algumas escoriações. Ali, recebeu os primeiros socorros, foi desintoxicado e liberado em seguida. 


Lavradores resgatados de trabalho análogo à escravidão ganhavam R$ 40 por 10h de jornada e foram picados por escorpião


Ação de resgate ocorreu na cidade de Ribeirão do Largo, sudoeste do estado.

Trabalhadores rurais são resgatados em condição análoga à escravidão

Trabalhadores rurais são resgatados em condição análoga à escravidão

 Os trabalhadores resgatados em condição análoga à escravidão, em uma fazenda no município de Ribeirão do Largo, sudoeste da Bahia, recebiam R$ 40 por mais de 10h de trabalho por dia. Eles ficavam abrigados em dois alojamentos, onde não havia água, banheiro, energia elétrica.

A ação de resgate de 19 lavradores ocorreu na segunda-feira (27) e as condições dos trabalhadores foram detalhadas em coletiva de imprensa pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), na quarta-feira (29).

O dono da fazenda não estava no local no momento da ação e se comprometeu a comparecer na sede do MPT para prestar depoimento. O proprietário deve pagar cerca de R$ 40 mil de encargos trabalhistas referentes às rescisões dos funcionários.

Alguns dos trabalhadores resgatados são analfabetos e outros não tinham documentos, como por exemplo, a carteira de trabalho. Alguns deles ainda foram picados por aranhas e escorpiões durante a jornada.

“Os trabalhadores foram encontrados em dois alojamentos, na condição de precariedade, com paredes deterioradas, com muitos buracos, o chão com tábuas apodrecidas, inclusive possibilitando que animais peçonhentos se alojassem, inclusive com picadas de escorpiões em um dos trabalhadores”, diz a auditora fiscal Lidiane Barros. *G1