Polícia ‘fecha o cerco’ e procura por perigoso homicida no Sudoeste baiano


Wilson Santos Soledade, conhecido como “Índio”, de 33 anos, é, atualmente, o homem mais procurado nas cidades de Ibicuí, Iguaí, Nova Canaã e Firmino Alves. Ele é acusado de ter praticado vários homicídios nessas cidades nos últimos anos. É atribuído a ele, também, um homicídio, com ocultação de cadáver, na cidade de Jaguaquara, em 2010.

Na manhã desta terça-feira (31), policiais civis da 21ª Coorpin e militares da 8ª CIPM/Itapetinga fizeram incursão em uma pousada de Firmino Alves, cumprindo um mandado de busca e apreensão, pois havia a informação de que o homicida estaria ali hospedado, o que não se confirmou, mas foi apreendido um veículo VW Saveiro com suspeita de adulteração.

A periculosidade de “Indio” foi constatada pela polícia em 2012, quando foi preso portando uma submetralhadora, na cidade de Firmino Alves, e em abril de 2015, quando fugiu do Conjunto Penal de Jequié.

“Somente por um homicídio Wilson Indio foi condenado a 15 anos de prisão em regime fechado”, revelou o Coordenador da 21ª Coorpin, Roberto Júnior, que comandou as ações no início da manhã desta terça-feira.

Roberto Júnior ainda disse que a intenção da polícia é prender logo o homicida para que ele não cometa mais crimes e conta com o apoio da população das cidades vizinhas para qualquer denúncia. O Disque-Denúncia é (77)98887-0197. *Blog do Rodrigo Ferraz


‘Novo Cangaço’ deixa cidades do sertão da BA sem dinheiro


Foi em em dezembro de 1929 que Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião, passou pelas cidades de Cansanção e Queimadas, na região nordeste da Bahia, acompanhado de outros 15 homens do seu bando.

Na primeira cidade, barbeou-se, perfumou a si a e a seus cavalos e acabou com os estoques do conhaque Macieira de 5 Estrelas, o seu preferido. Na segunda, matou sete policiais, roubou 22 contos de reis e ainda ordenou que fizessem um baile em sua homenagem.

Oito décadas após sua morte, em 28 de julho de 1938, o fantasma de Lampião continua a assombrar Cansanção, Queimadas e outras cidades do Nordeste. Desta vez, por meio de bandos armados que invadem cidades e assaltam bancos, numa modalidade de crime que ficou conhecida como “novo Cangaço”.

Com a destruição de agências bancárias, moradores das pequenas cidades do sertão passaram a enfrentar um problema em comum: a escassez de dinheiro em espécie.

Assim como seus antepassados que viram Lampião, moradores de cidades como Cansanção, Nova Fátima, Nordestina, Araci e São Domingos têm que pegar a estrada e rumar para cidades vizinhas para conseguir sacar dinheiro.

Banco do Brasil, Bradesco e Caixa Econômica Federal não divulgam dados sobre ataques a suas agências. Mas sindicatos de bancários confirmam que parte das agências que foram destruídas está sendo retomadas sem o serviço de saque. Só na Bahia são 20 cidades nesta situação. (mais…)


Operação Radar começa na Avenida Luís Eduardo Magalhães em Conquista com PRF e Simtrans


A Prefeitura de Vitória da Conquista, Simtrans e Polícia Rodoviária Federal retomaram sexta-feira (27/07) a operação radar, que visa coibir o excesso de velocidade em diversas vias da capital do Sudoeste baiano.

Por enquanto, a iniciativa é educativa.

Em 2017, foram registrados 3155 acidentes de trânsito nas ruas e avenidas de Vitória da Conquista – 764 com vítimas. Muitos desses acidentes estão relacionados ao desrespeito aos limites de velocidade dentro da malha urbana.

A expectativa é de que ainda esse ano a Prefeitura adquira radares fixos e instale os equipamentos nas vias de maior velocidade em Conquista. * Blog do Rodrigo Ferraz