Desenvolvimento Científico e Tecnológico: Bolsonaro libera R$ 250 milhões para bolsas do CNPq

O presidente da República Brasileira Jair Messias Bolsonaro anunciou nessa segunda-feira  (4), em publicação em sua conta pessoal no Twitter, a liberação de recursos para garantir o pagamento, até o fim do ano, de 100% das bolsas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). “Organização e enxugamento dos gastos gigantescos do passado para focar … Leia Mais


A seis dias do Enem, 1,2 milhão de inscritos não sabem local da prova

A menos de uma semana para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), cerca de 1,2 milhão de participantes ainda não sabem onde farão a prova, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Esses estudantes ainda não acessaram o Cartão de Confirmação da Inscrição, que está disponível na Página … Leia Mais


UEFS abre cotas para trans, travestis, ciganos e pessoas com deficiência em 2020

A Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), localizada a 100 km de Salvador, vai abrir um sistema com novas cotas destinadas a transexuais, travestis, transgêneros, ciganos, quilombolas e portadores de deficiência. As cotas vão estar disponíveis a partir do segundo semestre de 2020, segundo informação foi divulgada pela instituição, na noite da última quarta-feira … Leia Mais




Justiça Federal da Bahia manda MEC suspender bloqueio nas universidades.


A Justiça Federal da Bahia determinou, na noite desta sexta-feira (7), que o Ministério da Educação suspenda o bloqueio de verbas nas universidades federais. O governo pode recorrer.

A decisão foi tomada pela juíza Renata Almeida de Moura, da 7ª Vara Federal, em Salvador, em resposta a uma ação apresentada pelo Diretório Central dos Estudantes da Universidade de Brasília (UnB).

O bloqueio de 30% nos gastos não obrigatórios (chamados discricionários) foi anunciado em abril pelo Ministério da Educação. Desde então, ações têm sido apresentadas à Justiça contra a medida. Além disso, no mês passado, houve manifestações em todo o paíscontra o bloqueio. O contingenciamento representa, segundo o governo, 3,4% do orçamento total das universidades.

*Blog do Léo Santos

(mais…)


Ruy pode: Em greve, professores da UESB recebem contracheques com corte salarial: “eu mesmo recebi R$ 69,15”.


Professores das quatro Universidades Baianas [UESB, UNEB, UESC e a UEFS] receberam seus contracheques com descontos pelos dias não trabalhados em decorrência da greve. A medida do governador Rui Costa Santos foi repudiada por muitos aliados, entre eles o deputado federal Waldenor Alves Pereira Filho (PT-BA). Na manhã deste domingo (2) o BLOG DO ANDERSON conversou com o professor da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Clóvis Piau Santos, que demonstrou indignação com a posição.

“O que foi colocado pelo deputado Rosember era que a gente só negociaria se nós voltássemos às salas de aulas, mas isso não se justifica. Os salários estão cortados, a gente está recebendo, eu recebi R$ 69,15 como salário e tem colega que receberam R$ 3,40, teve gente que não recebeu nada, uns recebem cento e pouco”, disse Clóvis Piau. Na sonora a seguir ele também fala sobre o movimento #essaconquistae nossa que reivindica o retorno do fechamento da Avenida Olívia Flores aos domingos e feriados.

*Blog do Léo Santos


Estudantes voltam às ruas em Brasília e 23 capitais contra cortes na educação nesta quinta, 30


Estudantes de todo o país saem às ruas para a segunda mobilização contra os cortes na educação do governo Bolsonaro. Eles prometem repetir os protestos realizados no último dia 15, que paralisaram as atividades em universidades, institutos federais e escolas públicas e privadas em mais de 170 cidades pelo Brasil que reuniram mais de 1 milhão de participantes. As entidades estudantis já confirmaram atos em Brasília e mais 23 capitais do país (confira abaixo) na próxima quinta-feira (30). As ações também devem servir para acumular forças para a greve geral do dia 14 de junho contra a proposta de reforma da Previdência.

Na semana passada, o governo repôs nos investimentos da educação R$ 1,58 bilhão, mas os cortes ainda alcançam R$ 4,25 bilhões, o que ainda ameaça inviabilizar o funcionamento de universidades e institutos federais no próximo ano. Além da reposição insuficiente, os estudantes apontam outros ataques à educação que se somam aos cortes e motivam as mobilizações.

 No dia seguinte às grandes mobilizações, o governo Bolsonaro editou decreto que altera regras sobre escolha de dirigentes universitários, que deverão agora contar com o aval dos ministros da Casa Civil e da Secretaria Geral da Presidência da República. Para os estudantes, a as indicações nas mãos do governo ferem diretamente a autonomia e a democracia universitária.

Também no mesmo dia, o governo Bolsonaro demitiu mais um presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pelo Enem. Elmer Vicenzi, que ocupava o cargo, foi afastado após contrariar o pedido do Ministério da Educação (MEC) para usar dados sigilosos de alunos na emissão de uma nova carteira estudantil. A ação foi vista como uma tentativa de retaliação contra as entidades estudantis.

Já na semana passada, os presidentes da União Nacional dos Estudantes (UNE) e da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) foram agredidos e impedidos de falar em audiência pública da Câmara dos Deputados que recebia o ministro da Educação, Abraham Weintraub, responsável pelos cortes.

A UNE, a Ubes e a Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) convocam a todos e todas estudantes a ir às ruas na próxima quinta (30) portando suas suas produções acadêmicas e materiais de estudo como símbolos da luta em defesa da educação. Fonte – DCM