Jovem de Jequié foi espancado após jogo da Copa América em Salvador: Cayan segue na UTI no Hospital do Exército


Um dos suspeitos de agredir Cayan Santana, jovem de 19 anos que está internado no Hospital do Exército, em Salvador, prestou depoimento à polícia na noite de quarta-feira (3). A vítima sofreu um traumatismo craniano depois de ser agredida na madrugada do mesmo dia. O suspeito foi identificado como Guilherme Machado, de 21 anos. Ele foi ouvido pela delegada Lúcia Maria Jansen, titular da 7ª Delegacia Territorial do Rio Vermelho, na capital baiana, responsável por investigar o caso.

De acordo com a delegada, Guilherme relatou que estavam todos na festa, em grupos separados. Ele disse que Cayan teria agredido um adolescente que estava no mesmo grupo que ele.

Ainda em depoimento, Guilherme relatou que, ao sair da festa, resolveu tomar satisfação com Cayan. A versão do suspeito será investigada pela polícia.

*G1

Segundo a delegada, várias pessoas ficaram lesionadas após a confusão, mas Cayan é o que tem o estado mais grave. Ela disse ainda que, por enquanto, tem apenas fragmentos de informações que não são precisos.

Ainda de acordo com Lúcia Maria Jansen, imagens de câmeras de segurança do local já foram solicitadas. As imagens devem ser disponibilizadas à polícia nesta quinta-feira (4).

Guilherme Machado fez exame de corpo de delito na quarta-feira e foi orientado pela perito a realizar um exame de ressonância para detectar possíveis lesões.
O caso aconteceu na madrugada de quarta-feira (3), após a partida entre Brasil x Argentina pela Copa América, na noite de terça (2). Cayan assistia à partida em um telão, no Bahia Othon Palace, no bairro de Ondina, em Salvador.

Familiares contaram que, segundo testemunhas, o jovem foi agredido ao tentar separar uma briga entre um amigo e dois homens, na área verde do Othon. Depois da discussão, ao sair da área externa, Cayan foi surpreendido com pancadas, socos e pontapés.

O jovem foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e foi internado na unidade de terapia semi-intensiva do Hospital Geral do Estado (HGE) e depois, transferido para o Hospital do Exército, em Salvador.

Já no Hospital do Exército, exames confirmaram que Cayan teve traumatismo craniano, de acordo com informações do pai dele, Ary Santana.

Ainda segundo Ary, Cayan é estudante de Direito e do Núcleo Preparatório Oficiais da Reserva (NPOR) do Exército Brasileiro. O caso é investigado pela 7ª Delegacia Territorial do Rio Vermelho.
Na tarde de quarta-feira (3), Ary Santana disse que o filho não foi agredido, mas que houve uma tentativa de homicídio contra Cayan.

“Os agressores foram para cima de meu filho e do amigo, e ele, na tentativa de impedir aquela tentativa de homicídio, porque aquilo não é agressão. Não houve uma agressão, houve uma tentativa de homicídio”, disse Ary Santana.

A vítima sofreu traumas na face e nos pulmões. “Meu filho sofreu um soco, ficou desmaiado no chão e aqueles indivíduos pisotearam a cabeça dele e chutaram a cabeça dele”, contou o pai da vítima.