Novos diálogos revelam que Moro orientava ilegalmente ações da Lava Jato


Mensagens inéditas analisadas pela parceria entre VEJA e o site The Intercept Brasil mostram que ele cometeu, sim, irregularidades enquanto atuava como juiz

As manifestações do último dia 30 tiveram como principal objetivo a defesa de Sergio Moro. Em Brasília, um enorme boneco de Super-Homem com o seu rosto foi inflado na frente do Congresso. Símbolo da Lava-Jato, que representa um marco na história da luta anticorrupção no país, o ex-juiz vem sofrendo sérios arranhões na imagem desde que os diálogos entre ele e membros da força-tarefa vieram a público revelando bastidores da operação. As conversas ocorridas no ambiente de um sistema de comunicação privada (o Telegram) e divulgadas pelo site The Intercept Brasil mostraram que, no papel de magistrado, Moro deixou de lado a imparcialidade e atuou ao lado da acusação. As revelações enfraqueceram a imagem de correção absoluta do atual ministro de Jair Bolsonaro e podem até anular sentenças.

Só uma pequena parte do material havia sido divulgada até agora — e ela foi suficiente para causar uma enorme polêmica. Em parceria com o site, VEJA realizou o mais completo mergulho já feito nesse conteúdo. Foram analisadas pela reportagem 649 551 mensagens. Palavra por palavra, as comunicações examinadas pela equipe são verdadeiras e a apuração mostra que o caso é ainda mais grave. Moro cometeu, sim, irregularidades. Fora dos autos (e dentro do Telegram), o atual ministro pediu à acusação que incluísse provas nos processos que chegariam depois às suas mãos, mandou acelerar ou retardar operações e fez pressão para que determinadas delações não andassem. Além disso, revelam os diálogos, comportou-se como chefe do Ministério Público Federal, posição incompatível com a neutralidade exigida de um magistrado. Na privacidade dos chats, Moro revisou peças dos procuradores e até dava bronca neles. “O juiz deve aplicar a lei porque na terra quem manda é a lei. A justiça só existe no céu”, diz Eros Grau, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, falando em tese sobre o papel de um magistrado. “Quando o juiz perde a imparcialidade, deixa de ser juiz.”

 GALHOFA - Fachin: “conversei 45 m com o Fachin. Aha uhu o Fachin é nosso.”

GALHOFA - Fachin: “conversei 45 m com o Fachin. Aha uhu o Fachin é nosso.” (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Não seria um escândalo se um magistrado atuasse nas sombras alertando um advogado de que uma prova importante para a defesa de seu cliente havia ficado de fora dos autos? Pois isso aconteceu na Lava-Jato, só que em favor da acusação. Uma conversa de 28 de abril de 2016 mostra que Moro orientou os procuradores a tornar mais robusta uma peça. No diálogo, Deltan Dalla­gnol, chefe da força-tarefa em Curitiba, avisa à procuradora Laura Tessler que Moro o havia alertado sobre a falta de uma informação na denúncia de um réu — Zwi Skornicki, representante da Keppel Fels, estaleiro que tinha contratos com a Petrobras para a construção de plataformas de petróleo, e um dos principais operadores de propina no esquema de corrupção da Petrobras. Skornicki tornou-se delator na Lava-­Jato e confessou que pagou propinas a vários funcionários da estatal, entre eles Eduardo Musa, mencionado por Dalla­gnol na conversa. “Laura no caso do Zwi, Moro disse que tem um depósito em favor do Musa e se for por lapso que não foi incluído ele disse que vai receber amanhã e da tempo. Só é bom avisar ele”, diz. (VEJA manteve os diálogos originais com eventuais erros de digitação e ortografia.) “Ih, vou ver”, responde a procuradora. No dia seguinte, o MPF incluiu um comprovante de depósito de 80 000 dólares feito por Skornicki a Musa. Moro aceita a denúncia minutos depois do aditamento e, na sua decisão, menciona o documento que havia pedido. Ou seja: ele claramente ajudou um dos lados do processo a fortalecer sua posição.

 CONTRA - Cunha: Moro não queria a delação do ex-presidente da Câmara

VEJA

 

CONTRA - Cunha: Moro não queria a delação do ex-presidente da Câmara (Guilherme Artigas/Fotoarena/Estadão Conteúdo)

Rui Costa decreta três dias de luto oficial pela morte de João Gilberto


O governador Rui Costa utilizou as redes sociais para manifestar seus pêsames pela morte do baiano João Gilberto neste sábado (6) e decretar três dias de luto na Bahia. Leia a nota de pesar na íntegra: 
Resultado de imagem para joão gilberto rui
“Pai da Bossa Nova, João Gilberto ajudou a projetar a imagem da Bahia e da música brasileira para o mundo. Hoje, sua morte silencia a música. Meus sentimentos aos familiares, amigos e fãs de um dos mais ilustres filhos de Juazeiro, que se tornou uma referência para as gerações de músicos que vieram depois da Bossa Nova. Os baianos têm orgulho de João Gilberto e por isso preservaremos seu legado. Que Deus conforte todos neste momento de dor. Decreto três dias de luto oficial na Bahia pela morte de João Gilberto”. ASCOM GOV/BA

Hoje é sábado; não se esqueça, a melhor pizza é da NÚBIO Pizzaria. Ligue: 99946-9190


 

Quer alegrar o seu sábado, saboreando aquela pizza deliciosa? É fácil, ligue  (77) 99469190 ou 3436 1554, e peça a melhor pizza da cidade! Núbio Pizzaria. Os profissionais a Núbio Pizzaria entregarão em sua casa, imediatamente. A Núbio Pizzaria conta com um espaço amplo, aconchegante e moderno, uma ótima opção para festejos de aniversários, confraternizações  e casamentos.

Além de tudo isso, você pode desfrutar de uma vasta variedade de Pizzas, como: A moda da casa a Núbio Pizza, a Quatro Queijos, a Portuguesa, o Cinco Queijos, a Atum, a Marguerita, a Bacalhau, a Francesa, dentre outras, sem falar nas doces, Romeu e Julieta, Brigadeiro, banana e a grande novidade, a Vegetariana.

Morre o cantor e compositor João Gilberto


Um dos pais da bossa nova, o baiano radicado no Rio tinha 88 anos

João Gilberto em uma de suas últimas apresentações no Carniege Hall, em Nova York, no ano de 2008. Ele faleceu neste sábado aos 88 anos. Foto: Jack Vartoogian/Getty Images / Getty ImagesMorreu hoje no Rio de Janeiro, aos 88 anos, o cantor e compositor João Gilberto, considerado um dos pais da bossa nova.

Segundo amigos da família, João Gilberto passava por um exame, que teve complicações. Os advogados da filha Bebel Gilberto, que trava uma disputa com o irmão João Marcelo, estão a caminho da casa do cantor. O corpo deve passar por uma autópsia.

O estado do cantor se agravou nos últimos meses — desde a perda da amiga e ex-mulher Miúcha, também cantora, que morreu em dezembro do ano passado. A família confirmou a amigos a morte.

João Gilberto Prado Pereira de Oliveira, nascido em Juazeiro, Bahia, em 1931, revolucionou a música brasileira. Contribuiu decisivamente para tornar a bossa nova um estilo musical reconhecido em todo o mundo.

Em apresentação no Festival de Montreaux, Suíça, em 1989. Recluso no fim da vida, João Gilberto é um dos maiores inovadores da música brasileira. Foto: Alain BENAINOUS / Gamma-Rapho via Getty Images

Era um gênio lembrado também pelo temperamento difícil, que tinha como exemplo mais contundente sua preferência pelo isolamento em seu apartamento na zona sul do Rio. Épooc/Globo

Morre em Barra do Choça aos 74 anos, Osvaldo Soares dos Santos


É com pesar que o Blog do Jorge Amorim, vem a público comunicar o falecimento do morador ilustre de Barra do Choça,  OSVALDO SOARES DOS SANTOS, de 74 anos. Ele faleceu neste sábado (06), às 8:00 horas, no Hospital Dr. José Maria de Magalhães Neto, em Barra do Choça.

Seu Osvaldo vinha há algum tempo lutando contra uma doença, infelizmente, hoje não resistiu e veio a óbito. Ele era uma pessoa muito conhecida em Barra do Choça. Irmão do ex-vereador Amenor, Joaquim e João de Amancio. Ele é pai de Osvande proprietário de uma borracharia no município.

O corpo está sendo velado na rua Clínio Amorim, nº 171. O sepultamento está previsto para este domingo (07) a partir das às 8:00 horas, no Cemitério Nova Cidade, em Barra do Choça

Neste momento de tristeza causada pela dor da perda de uma importante personalidade do município, o Blog do Jorge Amorim, manifesta a sua solidariedade e condolências aos familiares.

Festival de Inverno estreia Loja Oficial neste sábado


Um espaço descolado e aconchegante criado para integrar o Festival de Inverno Bahia (FIB) com o seu público e promover um “esquenta” para essa festa que é uma das maiores do interior do Nordeste. Essa é a proposta da Loja Oficial do FIB19, que fica no Boulevard Shopping, em Vitória da Conquista. O espaço foi aberto ao público neste sábado, 06, e funciona no mesmo horário do shopping – das 10 às 22h, de segunda-feira a sábado, e das 12 às 22h, aos domingos. O festival acontece nos dias 23, 24 e 25 de agosto, no Parque de Exposições Teopompo de Almeida.

Para a 15ª edição do FIB, a equipe de criação caprichou. Todo o layout da festa foi desenvolvido à mão e, posteriormente, trabalhado digitalmente. O computador entrou na proposta somente no final. “Se há 15 anos ainda dava pra ser feito assim, por que não fazer dessa forma hoje?”, argumenta a equipe. O visual da Loja Oficial carrega todo esse conceito e lá o público pode adquirir ingressos, tirar dúvidas e já ir curtindo o que essa 15ª edição promete.

No Palco Principal também não faltou criatividade! Confira a grade deste ano: na sexta, 23, se apresentam Frejat, Dilsinho e Marília Mendonça; já no sábado, 24, é a vez de O Grande Encontro, Iza, Ivete Sangalo e Léo Santana; fecham o festival, no dia 25, Nando Reis, Wesley Safadão e Anitta. ASCOM/FIB-2019