Primeira visita de Bolsonaro ao Nordeste terá homenagem cancelada e protesto com caixão


Cinco meses após o início de seu mandato, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) faz nesta sexta-feira (24) sua primeira visita oficial à região Nordeste como presidente da República. A ida será marcada por protestos e hostilidades de manifestantes, além de um clima de desconfiança entre Bolsonaro e os governadores da região -onde 8 dos 9 são de partidos da oposição.

O Nordeste é a região na qual o presidente tem a sua pior avaliação. Segundo pesquisa Datafolha divulgada em abril, 39% dos nordestinos consideram o seu governo ruim ou péssimo ante 30% da média nacional. Bolsonaro também foi derrotado nos nove estados da região na eleição do ano passado, ficando atrás do então candidato Fernando Haddad (PT).

O presidente vai ao Recife e a Petrolina (PE), onde entrega imóveis do programa Minha Casa, Minha Vida e assina ordem de serviços para construção de dois viadutos e duplicação da BR-428. O presidente deve ser recebido com protestos nas duas cidades. A expectativa, contudo, é que Bolsonaro seja blindado da ação dos manifestantes.

No Recife, haverá um protesto organizado por estudantes da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) em frente ao Instituto Ricardo Brennand, onde o presidente cumpre agenda. O protesto terá carro de som, leitura de carta aberta ao presidente e até a queima de um caixão. Os manifestantes, no entanto, ficarão do lado de fora do prédio do instituto, que tem acesso controlado, e não chegarão perto do presidente. Fonte: Folhapress

 

STF criminaliza a homofobia


Nesta quinta-feira, 23, com o voto do ministro Luiz Fux, seis dos 11 membros do Supremo Tribunal Federal votaram pela equiparação da prática da homofobia ao crime de racismo. Além de Fux, foram favoráveis: Celso de Mello, Luis Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Rosa Weber. A bancada evangélica, contrária a matéria, alegava que o STF não deveria assumir uma atribuição que é do Poder Legislativo. Segundo esses parlamentares, a criminalização da homofobia coloca em risco a liberdade de culto, pois algumas religiões defendem que a homossexualidade é pecado e pode ser “revertida”.

O texto tipifica condutas preconceituosas contra pessoas LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e travestis). A criminalização da homofobia e da transfobia começou a ser debatida pelos ministros no dia 13 de fevereiro. Na ocasião, quatro deles votaram a favor da proposta. O julgamento foi retomado na tarde desta quinta.

O tema chegou ao STF por meio de ações movidas pela Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transgêneros e Intersexos (ABGLT) e o Partido Popular Socialista (PPS), em 2012 e 2013, respectivamente. Ao contrário de outros tipos de preconceito, como racismo e intolerância religiosa, a LGBTfobia não era considerada crime no Brasil. Fonte: Catraca Livre

 

Cerca de 10 mil pessoas podem ser atingidas por novo rompimento de barragem em Minas


Um estudo de impacto sobre o possível rompimento de uma barragem da mineradora Vale em Barão de Cocais, Minas Gerais, afirmou que cerca de 10 mil pessoas de três municípios próximos podem ser atingidas. Além das mortes, o estudo aponta para “inundação generalizada de áreas rurais e urbanas” e interrupções no abastecimento de água e luz.

O estudo afirma ainda que o rompimento da barragem causaria danos estruturais e em pontos e travessias nas cidades atingidas, Santa Bárbara e São Gonçalo do Rio Abaixo. Os três municípios já passaram por simulações de evacuação. O estudo aponta ainda que a lama pode atingir ainda áreas de preservação permanente.

O total de pessoas que moram nestes três municípios é de cerca de 73,8 mil pessoas. Deste total, 32 mil estão em Barão de Cocais, 31 mil em Santa Bárbara e os outros 10,8 mil moram em São Gonçalo do Rio Abaixo.

Nesta segunda-feira (20), a Agência Nacional de Mineração afirmou que o rompimento do talude do complexo da Mina de Gongo Soco, em Barão de Cocais, Minas Gerais, deve acontecer até este sábado. A barragem é do mesmo tipo da que se rompeu em Brumadinho, em 25 de janeiro. Fonte: Varela Notícias

Relatório da PF aponta que PM tentou atrapalhar investigações do caso Marielle


A Polícia Federal divulgou nesta quinta-feira (23), um relatório apontando que o policial militar Rodrigo Jorge Ferreira, o Ferreirinha, atrapalhou as investigações sobre o caso da vereadora Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes, assassinados ano passado no Rio de Janeiro. As informações são do G1.

Segundo a PF, Ferreirinha tetou incriminar o ex-aliado Orlando Oliveira de Araújo, o Orlando Curicica, e o vereador Marcelo Siciliano, que sempre negaram envolvimento no crime. Ainda de acordo com a polícia, a finalidade era confundir as investigações e se vingar.

O policial militar reformado Ronnie Lessa e o ex-PM Élcio de Queiroz, são apontados pela polícia como autores dos disparos que mataram a vereadora e o motorista, mas ainda não há informações sobre os mandantes do crime.

Natura anuncia compra da Avon e se torna 4ª maior empresa do segmento de beleza


A Natura confirmou a aquisição da americana Avon em uma operação de troca de ações. O negócio deu origem a uma nova holding brasileira, a Natura &Co. Juntas, as duas empresas formam o quarto maior grupo exclusivo de beleza no mundo em valor de faturamento líquido, informam em comunicado.

Os acionistas da Natura &Co ficarão com 76% da companhia, enquanto os acionistas da Avon terão 24%. O grupo combinado terá valor de US$ 11 bilhões (R$ 44,2 bilhões). Nesta quarta-feira (22), o jornal Financial Times informou que a transação seria de US$ 2 bilhões (mais de R$ 8 bilhões). O valor da negociação não foi divulgado.

Com a operação, as companhias passam a ter faturamento anual superior a US$ 10 bilhões (R$ 40,2 bilhões), mais de 40 mil colaboradores e presença em cem países. Durante o dia, as ações das duas empresas subiram e fecharam em alta. A Avon encerrou esta quarta com valor de mercado de US$ 1,6 bilhão (R$ 6,4 bilhões). A Natura vale R$ 26,7 bilhões.

A companhia brasileira espera que a associação dos negócios resulte em sinergias estimadas entre US$ 150 milhões (R$ 603 milhões) e US$ 250 milhões (R$ 1 bilhão) por ano. Os recursos serão parcialmente reinvestidos na empresa para aumentar sua participação nos canais digitais e mídias sociais, em pesquisa e desenvolvimento, iniciativas de marca e expansão da presença geográfica do grupo.

O negócio confirma a intenção de expansão da Natura. Em 2018, a empresa já havia anunciado planos de expansão neste ano na América Latina. Em nota à imprensa, o presidente-executivo do conselho da Natura, Roberto Marques, disse que a aquisição significa um passo para construir um grupo global e multimarcas. Fonte : Folhapress

Em carta aberta, 14 governadores pedem a revogação do decreto sobre armas


Em carta aberta divulgada nesta terça-feira, governadores de 13 Estados e do Distrito Federal pediram a “imediata revogação” do decreto editado em 7 de maio por Jair Bolsonaro para facilitar o porte e a aquisição de armas por civis. Sustentam que as medidas previstas no decreto “não contribuirão para tornar nossos Estados mais seguros.” Os 14 governadores que subscreveram a carta consideram que o decreto de Bolsonaro terá “impacto negativo”, pois levará a um aumento na “quantidade de armas e munições que poderão abastecer criminosos.” Em consequência, elevará também “os riscos de que discussões e brigas entre nossos cidadãos acabem em tragédias. Fonte – Uol

Veja a carta na íntegra