Ameaças de fechamento de escolas voltam a assustar moradores dos Morrinhos; pais ameaçam derrubar escola


Resultado de imagem para escola fechadas
Imagem Ilustrativa

Pais de alunos da comunidade de Morrinhos, localidade rural de Barra do Choça entraram em contato com o Blog do Jorge Amorim pedindo ajuda contra fechamento da escola daquela comunidade.

De acordo com o morador que não quis se identificar, caso o prefeito cumpre a ameaça e feche a escola, obrigando os pais a levarem os seus filhos de cinco e seis anos para estudarem na Barra do Choça, no dia seguinte, irão botar ela no chão (derrubar a escola).

Segundo ele, a justificativa para o fechamento da Escola, é cortar custos.

O Blog do Jorge Amorim publicou no dia 23 de novembro: Novas ameaças de fechamento de escolas em Barra do Choça; professores prometem RESISTIR!. Na oportunidade o então secretário de educação, foi à Câmara Municipal e informou que a informação não procedia e que não haveria fechamento de escolas. Com a palavra a secretaria de educação, aguardamos uma resposta.

 

Secretário de Meio Ambiente estará em Barra do Choça para entrega de materiais para cercamentos de nascentes do Rio Catolé, hoje às 10:00 horas


O Secretário de Meio Ambiente do estado da Bahia, Geraldo Reis, estará nesta sexta-feira (11) em Barra do Choça entregando os materiais que serão utilizados no cercamento de áreas de proteção de nascentes e matas ciliares de imóveis rurais, localizados às margens do rio Catolé Grande.

Os proprietários se reunirão às 10:00 horas, em frente a Módulo Rural, de onde saem em comitiva á Fazenda Estância, na saída para morrinhos, em Barra do Choça.DSC_0015De acordo o presidente da Associação dos Irrigantes, Walter Felix, a ação é fruto do Termo Coletivo de Prestação de Serviços Ambientais junto com o  Ministério Público do Estado da Bahia, Barra do Choça e Vitória da Conquista, com o objetivo de recuperação dos passivos ambientais ocorridos em propriedades rurais de Barra do Choça.

 

Filha de pedreiro e moradora da favela, tira nota 1000 no Enem e cursará medicina


Beatriz Albino Servilha, de 19 anos, atribui suas vitórias aos pais: ao pedreiro Junior e à telefonista Renata

Sempre quis provar a eles que ‘filha de pobre também pode ser médica’. Depois de tantos obstáculos, o casal descobriu que a jovem estava entre os 53 candidatos que tiraram nota 1.000 na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Depois, viu o nome dela na lista de aprovados em medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Foram gritos ao telefone e choro de comemoração.

“Era meu 3º ano tentando entrar na faculdade. Eu sabia que minha família não teria condições de manter meus estudos. Mas, mesmo assim, nunca me direcionaram para outra área. Nossa situação financeira não me impediu de correr atrás do que eu queria”, conta Beatriz.

Quando recebeu a prova do Enem e viu que o tema da redação era “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”, Beatriz começou a chorar. “Não acreditei. Comecei a estudar Libras há dois anos, para me comunicar com uma amiga surda”, conta.

Ela havia se tornado intérprete da língua de sinais para os seguidores da igreja que frequenta. “Não achei tão difícil, porque tenho contato direto com a comunidade surda, que me impulsionou a continuar”, afirma Beatriz.

A jovem conta que, na redação do Enem, argumentou sobre a falta de intérpretes capacitados para atuar nas salas de aula. “Não basta formar qualquer tipo de profissional. Existem aqueles que têm capacidade de trabalhar em tribunal, em teatro, em igreja ou em escolas. A sociedade é muito ignorante e não vê Libras como algo importante e oficial”, diz.

“Há um tempo, fui levar minha irmã a uma unidade de pronto-atendimento e vi três surdos lá, desamparados, porque nenhum funcionário sabia língua de sinais. Ninguém pensa nisso”, completa. www.srocabaniceWordpress.com