Acidente envolve 3 veículos em perigoso cruzamento no Bairro Brasil em Conquista


“Esse cruzamento é perigoso demais, a Prefeitura precisa fazer alguma coisa antes que uma tragédia aconteça”. Essas são as palavras de um leitor do Blog que registrou mais um acidente na Avenida Paraíba com a Rua Maneca da Prata no Bairro Brasil, em Conquista, na tarde desta sexta-feira (05/10).

O acidente envolveu três carros. “Um dos veículos rodou e bateu em outro que estava parado”, disse a testemunha.

Um dos carros teve a traseira destruída com o impacto.

Apesar do susto, ninguém ficou gravemente ferido. *Blog do Rodrigo Ferraz

Prêmio Nobel da Paz vai para um médico congolês e uma ativista yazidi


O Prêmio Nobel da Paz de 2018 foi concedido hoje (05/10) a uma dupla considerada exemplo de esforços para para acabar com o uso da violência sexual como arma de guerras e conflitos armados. O congolês Denis Mukwege e a ativista do povo yazidi Nadia Murad são os agraciados este ano.

“Cada um deles à sua maneira ajudou a dar maior visibilidade à violência sexual em tempo de guerra, de modo que os perpetradores possam ser responsabilizados por suas ações”, diz o texto oficial da Academia do Prêmio Nobel, na Suécia. O prêmio reconhece a maior contribuição para a paz mundial.

Médico ginecologista, Denis Mukwege atua nos cuidados e na defesa das vítimas de violência e abuso sexual. Já Nadia Murad, da minoria yazidi perseguida em vários países, é considerada testemunha dos abusos. Ela foi escrava sexual no Iraque.

Vovô do crime; idoso de 70 anos é preso com cerca de 7 mil materiais irregulares para armamentos e munições em Paulo Afonso


Equipes do 20° Batalhão da Polícia Militar capturaram um idoso de 70 anos que comercializava armas e munições. Com Arlindo Duque da Silva foram apreendidos um revólver calibre 38 e mais de 7 mil materiais irregulares para armamentos.

Os militares chegaram até a residência do idoso, após alguns traficantes, presos recentemente, indicarem o local onde compravam armas. Arlindo foi surpreendido, no bairro Perpétuo Socorro, município de Paulo Afonso.

Na casa foram apreendidos um revólver calibre 38, 6.500 espoletas, 545 munições de diversos calibres e 15 tubos de pólvora. Arlindo foi autuado por porte ilegal de arma de fogo, comércio irregular e posse ilegal de munição. *Blog do Rodrigo Ferraz

Acusada de matar garota na BA por dívida de R$ 15 é condenada a 4 anos em regime aberto: ‘Não tem justiça’, diz mãe de vítima


A merendeira Aline Alves Santos, acusada de matar a adolescente Ingrid Lima dos Santos, de 15 anos, em Salvador, foi condenada a 4 anos de prisão em regime aberto, na quinta-feira (04/10), durante júri popular. A decisão cabe recurso. O julgamento foi realizado no Fórum Ruy Barbosa, no centro da capital baiana. A audiência começou por volta das 8h e foi encerrada às 18h, 10 horas depois. Familiares da vítima acompanharam a decisão.

Ingrid foi assassinada em 2016, por conta de uma dívida de R$ 15. À época, a acusada negou que tivesse cometido o crime por conta da dívida e afirmou ter agido em legítima defesa. A versão foi sustentada no tribunal. Durante a audiência, o júri determinou 6 anos de prisão, mas, a juiza Gelzi Maria Almeida Souza, responsável pela sentença, tirou 2 anos da pena. Na decisão, ela afirma que levou em conta o fato da acusada ser ré primária e ter bons antecedentes.

Em entrevista ao G1, a mãe da vítima, Cristina Batista Lima, disse que não concorda com a sentença, mas não vai recorrer. “Recorrer para quê? Não tem justiça mais. Não tem justiça nesse país. Ela matou Ingrid e saiu de boa”, desabafou.

Testemunha do crime, a mãe de Ingrid foi a primeira pessoa a ser ouvida no julgamento. Agarrada a uma farda escolar da filha, Cristina estava muito abalada e contestou a versão dada pela acusada desde a época do crime. “Não foi legítima defesa, ela puxou a faca e enfiou na minha filha. Eu vi. Eu vivo com uma ferida que vai abrindo, fechando, abrindo, fechando… É muito sofrido”, disse Cristina. Depois de prestar depoimento, a mãe da vítima passou mal e precisou ser retirada do salão. Quando se recuperou, ela preferiu não voltar para assistir o júri e passou a aguardar a decisão do lado de fora.