Estudantes indígenas e quilombolas têm bolsas cortadas pelo governo Temer


O Governo Federal interrompeu as bolsas do Programa Bolsa-Permanência (PBP) para novos estudantes universitários de comunidades indígenas e quilombolas.

A bolsa é no valor de R$ 900 por mês, para ajudar na moradia, alimentação e material escolar dos estudantes.

Segundo matéria publicada nesta quarta-feira (06) pelo jornal Folha de São Paulo, 2,5 mil estudantes foram prejudicados até o momento e a previsão é que esse numero chegue a 5 mil até o final do ano letivo.

De acordo com as denuncias dos universitários, o sistema do PBP está bloqueado e os novos estudantes não receberam nenhuma parcela da bolsa desde março.

Em nota, o Ministério da Educação informou que os alunos estão recebendo o valor “normalmente” e que 800 novas bolsas foram anunciadas pelo governo. *Varela Notícias