Assédio e violência sexual são maiores problemas de brasileiras, diz pesquisa


O assédio e a violência sexual são apontadas por uma pesquisa da Ipsos, divulgada nesta quarta (07), como as maiores preocupações das mulheres. O estudo foi realizado em 27 países.

Quase 20 mil pessoas foram ouvidas para o estudo na África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, Chile, China, Coreia do Sul, Grã-Bretanha, Espanha, EUA, França, Hungria, Índia, Itália, Japão, Malásia, México, Peru, Polônia, Rússia, Sérvia, Suécia e Turquia.

Abuso doméstico é o quarto maior problema das brasileiras e de mulheres do mundo todo. Já a igualdade salarial é a quinta maior fonte de preocupação das mulheres ao redor do globo e a sexta no nosso país. Mas é a principal em países desenvolvidos como Alemanha, Suécia, Bélgica e Grã-Bretanha.

No ranking global, as três maiores preocupações listadas pelas mulheres foram assédio sexual com 32%; violência sexual, com 28%; e violência física, com 21%. No entanto, essa ordem se alterou no Brasil: violência sexual é o maior medo das brasileiras, com 47%; seguida de assédio sexual, com 38%; e violência física, com 28%.

“Os números de estupros e casos de violência física são altíssimos e sabemos que grande parte não é reportada. Dados da nossa pesquisa apontam para uma sensação de impunidade por parte das mulheres, o que intensifica o medo – 61% das mulheres acredita que os relatos de assédio sexual são ignorados. Campanhas e manifestações crescentes na internet e na mídia, como #metoo, têm contribuído para que o tema ganhe visibilidade”, afirmou Narayana Andraus, gerente da Ipsos, em comunicado à imprensa. *Varela Notícias