Morre em Vitória da Conquista, Pedro Emílio


É com profundo pesar que o Blog do Rodrigo Ferraz informa o falecimento precoce de Pedro Emílio, uma das figuras mais conhecidas de Vitória da Conquista.

Atualmente Pedro era presidente do Conselho Municipal de Educação e foi presidente da Liga Conquistense de Desportos Terrestres (LCDT). Formado em Direito pela Faculdade Independente do Nordeste (FAINOR), Pedro Emílio era um conhecedor nato da política de Conquista, incentivador e apaixonado pelo esporte amador.

Pedro veio a óbito dentro da sua residência, na Rua Santos Dumont, no Bairro São Vicente. Blog do Rodrigo Ferraz

Brincadeira do “Diz que é cria da Barra…” resgata história da cidade e viraliza nas redes.


Em Barra do Choça não se fala em outra coisa, as grandes figuras e locais que fizeram parte da história da Terra do Café têm vindo à tona nas redes sociais como uma forma nostálgica e saudável de relembrar o passado.

Veja algumas:

  • “Diz ser cria da Barra mas nunca foi em uma seresta no Veterano Esporte Clube.”

  • Diz ser cria de Barra do Choça mas nunca comeu o pão de pudim do Superlar..

  • Diz ser Cria da Barra mais nunca ficou na fila do SUPERLAR pra comprar pão de 0.03 centavos.

  • Diz que é da Barra mas nunca comprou tempero na vendinha de Sr. Olegário e Dna Rosa.

  • Diz que é cria da Barra! Mas nunca correu com medo de Nôga e Bate pé!

  • Diz ser cria de Barra do Choça, mas nunca cantou: cai cai tanajura na panela da gordura.

  • Diz que é cria de Barra Nova mas nunca demorou quase uma hora pra chegar na Barra na perua do meu pai Lorão da Kombi.

  • Diz ser cria, mas nunca comeu do requeijão do bar de ZICO 

  • Diz ser cria de Barra do Choça, mas duvido que tenha brincado no antigo parque da cidade, onde hoje é o Fórum.

  • Diz que é cria da Barra nas nunca queimou bosta de boi p espantar os pernilongos

  • Diz que é cria da Barra mas nunca correu de Turrao e Tilau

  • Diz ser cria da Barra,mas nunca estudou com o professor Souza.

  • Diz ser cria de barra do choça mais nunca comeu as cocadas de coco de seu Tantão

  • Diz ser cria da Barra, mas não se lembra da equipe Capimpé.

  • Diz ser cria da Barra e nunca comorou uma bala chibiu no mercadinho de Mazim.

Inaugura nesta quinta feira, 08 de março, a loja que enaltece as mulheres com estilo e beleza, Bella Chic


Com roupas super em alta, tendências do momento e um gosto maravilhoso, a Bella Chic Fashion Store, inaugurará no dia 08 de março, a sua primeira sede.

Com uma novidade surpreendente, uma promoção de 50 por cento em toda a loja e um desfile para a demonstração das peças, a Bella Chic promete inovar Barra do Choça com qualidade e bom preço, trazendo pra você muita beleza e simpatia em um só lugar.

Amanhã a partir 17:00 horas, na Galeria Viana, rua Rui Barbosa – Centro, ao lado de Daniel Motos Contato: (77) 99950-1014

Reflexões sobre a relação entre as prefeituras e a iniciativa privada; por Guilherme Bastos


Por: Guilherme Bastos

A contratação de empresas para assessorarem os municípios na realização de serviços técnicos é costume no Brasil. Mas o interesse público, muitas vezes, não é atendido.

Inicialmente, é preciso dizer que não é ilegal a contração de empresas para assessorarem as prefeituras e demais órgãos públicos em algumas situações extraordinárias.

Ao contrário: pode ocorrer, excepcionalmente, de a própria lei impor ao município a contratação de serviço particular especializado. Isso não significa dizer, contudo, que tais contratações são invulneráveis a erros, ilegalidades e demais atos contrários ao interesse público. Porquanto, o ideal é que fossem fiscalizadas por agentes políticos e representantes da sociedade civil.

Os exemplos mais comuns de assessoria às gestões municipais são os escritórios de advocacia e contabilidade. A especialidade dos serviços jurídico e contábil, somada à defasagem de profissionais estatutários nessas áreas, facilita a contratação de empresas privadas.

Por ser meu ramo profissional, discorrerei sobre a relação entre prefeituras e a iniciativa privada na área jurídica. Reflito, pois, sobre suas consequências, os prós e os contras, e o que se poderia fazer, a meu ver, para que uma prefeitura supere a necessidade da contratação de assessoria para a prestação desse serviço.

A gênese da relação entre as prefeituras e a iniciativa privada na contratação de assessorias envolve duas correntes políticas distintas: os favoráveis, em regra, são liberais apoiadores da privatização dos serviços públicos, ou seja, da desestatização; os contrários, também em regra, encontram-se mais à esquerda e apoiam o crescimento, fortalecimento e autonomia da Administração Pública na sua gestão interna e na prestação de serviços públicos.

Essa dicotomia é facilmente percebida no âmbito federal nas últimas décadas: os governos de FHC privatizaram inúmeras empresas, enfraquecendo a máquina pública e enriquecendo inúmeros particulares; por outro lado, os governos de Lula e Dilma investiram alto nas empresas e órgãos estatais, gerando centenas de milhares de empregos públicos.

Nada obstante, é preciso trazer esse conflito para a realidade de um município pequeno como Barra do Choça para que nossas reflexões façam algum sentido. Pois bem. Consta nos arquivos relativos às licitações realizadas pela gestão do prefeito Adiodato Araújo, o Processo Administrativo nº 003/2017, Inexigibilidade nº 001/2017, cujo objeto, escritório contratado e valor do contrato extraio do referido documento e transcrevo ipsis literis:

“[o] objeto é a [prestação de] serviços de assessoria jurídica ao setor de licitações e contratos, assessoria no setor de tributos e assessoria ao controle interno, resguardando os interesses da administração, além de atuar de forma judicial e extrajudicialmente, no exercício de 2017, em favor da empresa RUBIM E ROCHA ADVOGADOS ASSOCIADOS, inscrita no CNPJ sob o nº 19.480.506/0001-73, situada na Praça Presidente Tancredo Neves, nº 86, Centro, Vitória Da Conquista – BA, pelo valor total de R$179.880,00 (cento e setenta e nove mil, oitocentos e oitenta reais).”

São, portanto, quase 200 mil reais para um único escritório de advocacia situado em Vitória da Conquista para a prestação de serviços no ano de 2017. Não tenho conhecimento da renovação do contrato para o exercício de 2018.

Diante do exposto, trago aos leitores uma análise técnica e também social sobre o caso. Uma rápida busca no Google com a pesquisa “contratação de assessoria jurídica prefeitura irregularidades” encontrará inúmeros casos de denúncias, investigações, absolvições e condenações dos envolvidos nesses contratos.

Um exemplo aconteceu na Paraíba, “TCE barra farra das contratações de escritórios de advocacias por 7 prefeituras“. Em todos os sete casos, as Câmaras do Tribunal de Contas da Paraíba referendaram, por unanimidade, decisões suspensivas dos pagamentos aos contratados. Esse é apenas um caso, mas existem muitos outros.

Guilherme Bastos Lopes, 28 anos, é advogado militante em São Paulo e manterá coluna semanal sobre a cidade de Barra do Choça, todas as terças-feiras, no Blog do Jorge Amorim e no portal JusBrasil. Guilherme é membro de uma família tradicional de Barra do Choça. Filho de Glória e neto de Neolindo Bastos.

Assédio e violência sexual são maiores problemas de brasileiras, diz pesquisa


O assédio e a violência sexual são apontadas por uma pesquisa da Ipsos, divulgada nesta quarta (07), como as maiores preocupações das mulheres. O estudo foi realizado em 27 países.

Quase 20 mil pessoas foram ouvidas para o estudo na África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, Chile, China, Coreia do Sul, Grã-Bretanha, Espanha, EUA, França, Hungria, Índia, Itália, Japão, Malásia, México, Peru, Polônia, Rússia, Sérvia, Suécia e Turquia.

Abuso doméstico é o quarto maior problema das brasileiras e de mulheres do mundo todo. Já a igualdade salarial é a quinta maior fonte de preocupação das mulheres ao redor do globo e a sexta no nosso país. Mas é a principal em países desenvolvidos como Alemanha, Suécia, Bélgica e Grã-Bretanha.