Caixa d’água cai sobre escola infantil e mata duas crianças


Segundo a prefeitura, 17 pessoas foram atendidas na Clínica de Saúde da Família, sendo 11 crianças.

A caixa d'água ficava localizada ao lado da escola (Foto: Kedma Ferr/TV Sergipe)Na tarde desta segunda-feira (6), duas crianças morreram e outras ficaram feridas após a queda de uma caixa d’água no telhado da Escola Municipal Professor Osman dos Santos Oliveira, no Povoado Campo Grande, município de Nossa Senhora das Dores, Médio Sertão de Sergipe.

Dos 20 feridos no acidente registrados pela Prefeitura de Dores, 12 estão no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), em Aracaju, sendo 11 crianças, uma em estado grave, e um adulto. Outras três crianças estão no hospital de Itabaiana, em situação estável de saúde. Cinco vítimas que estavam em uma unidade saúde de Dores já receberam alta.

Caixa d'água cai sobre escola infantil e mata duas crianças no interior de Sergipe
 “O acidente foi na hora do intervalo quando as crianças estavam no pátio da escola. Se todas estivessem dentro das salas de aula teríamos mais vítimas”, disse o prefeito do município Thiago de Sousa Santos, que é médico e está colaborando no socorro às vítimas.Escola ficou destruída após o acidente (Foto: Kedma Ferr/TV Sergipe)

O resgate das vítimas foi realizado por equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e do Corpo de Bombeiros. No início da noite desta segunda-feira, os corpos de uma menina de 11 anos e um menino de 9 anos chegaram ao Instituto Médico Legal (IML), em Aracaju (SE). *G1

 

Escola ficou destruída após o acidente (Foto: Kedma Ferr/TV Sergipe)

Escola ficou destruída após o acidente (Foto: Kedma Ferr/TV Sergipe)

José Edmar dos Santos é vigilante da escola e estava no local 40 minutos antes do acidente participando de uma reunião com os diretores. “Olho para o local e fico sem acreditar. Estava todos os dias com as crianças. Como o povoado é pequeno e é como se fosse uma única família. O problema da caixa d’água era antigo, a população reclamava sobre os perigos, mas só pintaram o local, sem resolver a situação”, lamenta.

“Foi uma cena triste, uma tragédia. Quando vi aquela situação corri para ajudar as vítimas e ainda retirei o corpo de uma das crianças embaixo da caixa d’água”, descreve César Santos de Souza, que também é vigilante da unidade escolar.

Equipe do GTA atendendo uma das vítimas (Foto: GTA )Equipe do GTA atendendo uma das vítimas (Foto: GTA )

Equipe do GTA atendendo uma das vítimas (Foto: GTA )

A Companhia de Saneamento de Sergipe (DESO) confirmou que a caixa d’água pertence a empresa e ficava ao lado da unidade escolar. O reservatório era responsável pelo abastecimento do povoado, que tem 600 pessoas. Segundo a assessoria de comunicação, uma equipe foi deslocada para o local do acidente e o foco é dar assistência às vítimas e familiares.

“O reservatório tinha 13 anos, o que para a construção não é considerado um longo período. E possuía 15 metros de altura, com capacidade para 30 mil litros de água. Uma perícia será realizada no local nesta terça-feira”, explica o diretor da DESO, Sílvio Múcio, completando que a companhia vai apurar tecnicamente o fato para esclarecimentos as causas do acidente .

Inquérito

O delegado Marcos Garcia, que acompanha o caso, informou que o inquérito já foi instaurado e testemunhas foram ouvidas. “Algumas disseram que a situação da caixa d’água já vinha sendo questionada pela comunidade e um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) tinha sido firmado entre o Ministério Público de Sergipe e a DESO. Agora, o papel da polícia é buscar e responsabilizar àquelas pessoas que não adotaram as providências necessárias”, disse.

O diretor da DESO, Sílvio Múcio, disse que não tem conhecimento da existência do TAC referente as condições do reservatório.

A assessoria de comunicação do Ministério Público de Sergipe informou que o órgão não tinha conhecimento do estado do reservatório. Disse ainda que o promotor Renato Dantas Bernardes afirma que o único Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) existente foi firmado com as escolas municipais para adequar o projeto de incêndio e pânico.

Equipe do Corpo de Bombeiros ajudou no resgate das vítimas (Foto: Kedma Ferr/TV Sergipe)Equipe do Corpo de Bombeiros ajudou no resgate das vítimas (Foto: Kedma Ferr/TV Sergipe)

Equipe do Corpo de Bombeiros ajudou no resgate das vítimas (Foto: Kedma Ferr/TV Sergipe)