Após polêmica sobre ‘trabalho escravo’, Luislinda Valois quer ser deputada em 2018


Após polêmica sobre ‘trabalho escravo’, Luislinda Valois quer ser deputada em 2018

Envolvida em uma polêmica após falar em “trabalho escravo” para pedir o direito a receber um salário de R$ 61 mil, a ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, quer ser candidata a deputada federal nas eleições de 2018.
De acordo com a Coluna do Estadão, do jornal O Estado de S. Paulo, ela já comunicou o desejo ao PSDB, partido ao qual é filiada. Caso realmente se candidate, Luislinda precisará deixar o cargo no governo em abril. Ainda segundo a publicação, mesmo após a repercussão negativa das declarações da ministra, ela permanece à frente da pasta, com apoio do senador Aécio Neves (PSDB-MG).*Bahia Notícias